sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Acaba água da Barragem de Canafístula e seca chega ao extremo no Brejo e Curimataú

A seca chegou ao seu ponto mais extremo nas regiões do Agreste, Brejo e Curimataú paraibano. A Barragem de Canafístula, que abastece municípios como Bananeiras, Solânea, Cacimba de Dentro, Damião, Araruna, Tacima, Riachão e Dona Inês, secou, não há mais água no reservatório, como mostram as imagens Essa está sendo considerada a pior crise de abastecimento da região em todos os tempos. O volume morto da barragem secou por completo e a diretoria da Cagepa local irá, numa última tentativa de encontrar o mínimo de água, romper o balde da barragem antiga para captar as últimas gotas de água existentes no local.

Guarabira: Homem teve cabeça esmagada ao se jogar em baixo de um caminhão

Um homem identificado como Adriano Soares dos Santos, 38 anos, teve a cabeça esmagada ao se jogar em baixo de um caminhão na cidade de Guarabira-PB. O fato aconteceu por volta das 6:30h desta sexta-feira (27) na rua José Américo no Bairro do Nordeste. No local, vários curiosos que passavam no local disseram que a intenção do homem era de fato morrer. O caminhão pertence ao Frigorífico Almeida, empresa guarabirense. O motorista Francisco de Assis, visivelmente abalado disse que não pode fazer nada para evitar a tragédia. O caminhão ia fazer entrega de mercadorias em outras cidades. Familiares de Adriano disseram que ele não passava por problemas de saúde, e que havia chegado a pouco tempo do Rio de Janeiro e estava construindo uma casa, portanto não tinha motivos aparentes para cometer suicídio ---fonte portal midia;;;

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Barragem seca e cemitério de antiga cidade inundada no RN aparece

O baixo nível dos reservatórios de água do Rio Grande do Norte ocasionaram um fenômeno curioso na barragem Armando Ribeiro Gonçalves, que abastece a Região Oeste do estado. O cemitério da antiga cidade de São Rafael, inundada pelas obras de construção da barragem na década de 80, reapareceu. Segundo o radialista Adaílton Amorim, as catacumbas do cemitério já haviam aparecido durante secas anteriores, porém nunca ficaram tão expostas. “A parte que eu fotografei é onde estão as catacumbas das pessoas mais abastadas, localizadas em uma área específica do cemitério. Nunca foi possível chegar nesta região da forma como fiz, está totalmente sem água”, disse Adaílton. Segundo dados do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs), a barragem Armando Ribeiro Gonçalves comporta 2.400.000.000 de metros cúbicos de água e opera atualmente com 29,53% da capacidade. Apesar da seca, a barragem ainda opera com a média superior a de outros reservatórios do estado. História submersa Inaugurada em 1983, a barragem Armando Ribeiro Gonçalves começou a ser construída em 1980. A inundação da cidade foi um dos pontos mais polêmicos da construção. Para a inundação, uma nova cidade foi construída para receber a população. Com a seca, depois de mais de 30 anos, um "esquecido" emergiu com a cidade. Segundo o chefe do departamento técnico da coordenadoria regional do Dnocs, a primeira obra inaugurada na nova São Rafael foi o cemitério, uma vez que a legislação da época exigia a retirada dos corpos da antiga cidade para que a inundação pudesse ser feita. Entretanto, nos registros feitos pelo radialista pode ser vista pelo menos uma ossada humana. “À época, o Dnocs contratou uma empresa que eu nem me recordo o nome, já deve até ter acabado, para transferir os corpos do antigo para o novo cemitério. Durante todo este período pensávamos que o serviço havia sido feito corretamente. Se alguém ficou esquecido é importante que alguma autoridade competente notifique o Dnocs ou tome medidas para a transferência dos restos mortais até o novo cemitério”, disse o engenheiro. Fonte: G1-RN

Desembargador do PI derruba decisão que mandava tirar WhatsApp do ar

Prognóstico climático foi divulgado nesta quarta-feira (25). Março, abril e maio são os meses mais chuvosos no Sertão. A Paraíba deve ter chuvas irregulares, variando de normal a abaixo da média, nos meses de março, abril e maio, segundo prognóstico climático do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgado na quarta-feira (25). O chefe da Seção de Previsão do Tempo do Inmet-PE, Ednaldo Araújo, explicou que a previsão é de que a área que compreende o estado da Paraíba tenha 40% de possibilidade de ter chuvas normais, 35% de chance de ficar abaixo da média e 25% acima da média. As chuvas já estão irregulares e estamos terminando fevereiro com um déficit de chuva. No Sertão paraibano, o período chuvoso é normalmente em março, abril e meados de maio. Se não chover nesse período, não vai ter mais água para a produção agrícola e para abastecimento de reservatórios”, declarou Araújo. Apesar da previsão de chuvas irregulares, o Inmet espera que as chuvas aumentem nos próximos três meses em relação a janeiro e fevereiro. De acordo com Araújo, as águas superficiais o Oceano Atlântico estavam frias nos dois primeiros meses do ano, o que contribuia para a falta de chuvas. “Nesses últimos dias, elas estão menos frias, o que favorece o aumento da nebulosidade”, explicou. A meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Marle Bandeira, explicou que também é importante ficar atento às previsões meteorológicas no dia-a-dia. “Em um ano como esse, de chuvas irregulares, o monitoramento que a Asea faz diariamente é de extrema importância para dizer qual a bacia que vai ser beneficiada com as chuvas”, disse.

Paraíba deve ter chuvas irregulares nos próximos três meses, diz Inmet

Prognóstico climático foi divulgado nesta quarta-feira (25). Março, abril e maio são os meses mais chuvosos no Sertão. A Paraíba deve ter chuvas irregulares, variando de normal a abaixo da média, nos meses de março, abril e maio, segundo prognóstico climático do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgado na quarta-feira (25). O chefe da Seção de Previsão do Tempo do Inmet-PE, Ednaldo Araújo, explicou que a previsão é de que a área que compreende o estado da Paraíba tenha 40% de possibilidade de ter chuvas normais, 35% de chance de ficar abaixo da média e 25% acima da média As chuvas já estão irregulares e estamos terminando fevereiro com um déficit de chuva. No Sertão paraibano, o período chuvoso é normalmente em março, abril e meados de maio. Se não chover nesse período, não vai ter mais água para a produção agrícola e para abastecimento de reservatórios”, declarou Araújo. Apesar da previsão de chuvas irregulares, o Inmet espera que as chuvas aumentem nos próximos três meses em relação a janeiro e fevereiro. De acordo com Araújo, as águas superficiais o Oceano Atlântico estavam frias nos dois primeiros meses do ano, o que contribuia para a falta de chuvas. “Nesses últimos dias, elas estão menos frias, o que favorece o aumento da nebulosidade”, explicou. A meteorologista da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Marle Bandeira, explicou que também é importante ficar atento às previsões meteorológicas no dia-a-dia. “Em um ano como esse, de chuvas irregulares, o monitoramento que a Asea faz diariamente é de extrema importância para dizer qual a bacia que vai ser beneficiada com as chuvas”, disse.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Juiz determina suspensão do WhatsApp no Brasil

TERESINA e RIO — O juiz da Central de Inquérito da Comarca de Teresina, do Tribunal de Justiça do Piauí, Luiz Moura Correia, determinou que todas as companhias de telefonia suspendam temporariamente o funcionamento do aplicativo Whatsapp no Brasil, "até o cumprimento de ordem judicial". Ele não informou o motivo da decisão, explicando que a ação tramita em segredo de Justiça. Mas a Secretaria estadual de Segurança Pública do Piauí comunicou que a suspensão foi determinada porque a empresa fornecedora do aplicativo de mensagens não tirou de circulação imagens de crianças e adolescentes expostas sexualmente, objeto de investigação da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Teresina, capital do estado. O órgão informa que os processos que levaram à determinação começaram em 2013. VEJA TAMBÉM WhatsApp lança versão para computadores WhatsApp começa testes com chamadas por voz pelo aplicativo, diz site Especialistas avaliam o efeito do WhatsApp web em ambientes de trabalho A decisão foi tomada em 11 de fevereiro e, segundo a secretaria, as empresas de telefonia foram comunicadas a respeito em 19 de fevereiro, por meio de um ofício do delegado Éverton Ferreira de Almeida Férrer, do Núcleo de Inteligência da secretaria. O prazo para a suspensão é de 24 horas e atinge os domínios whatsapp.net e whatsapp.com. As companhias estariam recorrendo da decisão. Procurado, o WhatsApp ainda não se manifestou sobre o caso. O Facebook, dono do aplicativo desde o ano passado, informa que as operações das duas companhias são independentes e que não vai se posicionar sobre a questão. "Suspenda temporariamente até o cumprimento da ordem judicial , em todo território nacional, em caráter de urgência no prazo de 24 horas após o recebimento, o acesso através dos serviços da empresa aos domínios whatsapp.net e whatsapp.com, bem como todos os seus subdomínios e todos os outros domínios que contenham whatsapp.net e whatsapp.com em seus nomes e ainda todos números de IP (Internet Protocol) vinculados aos domínios já acima citados", determina o juiz Luiz Moura Correia. Ele diz, em sua sentença, que as empresas de telefonia devem suspender o tráfego de informações, de coleta, armazenamento, guarda e tratamento de registros de dados pessoais ou de comunicações entre usuários do serviço e servidores do aplicativo. O mandado judicial foi encaminhado aos provedores de infraestrutura (Backbones) e aos provedores de conexão (operadoras de telefonia móvel) entre outras. "Cabe esclarecer que todas as representações e decisões judiciais foram tomadas com base na lei que instituiu e disciplinou o Marco Civil da Internet”, afirma, em nota a Secretaria de Segurança do Piauí. DECISÃO 'EXTREMA' O advogado Fernando Mauro Barrueco, especialista em Direito Digital, considera a decisão "extrema". O Marco Civil determina que os provedores de aplicações de internet, como o WhatsApp, são obrigados a prestar informações exigidas pela Justiça, mas, em caso de descumprimento, as sanções podem ser de advertência, multa, suspensão e proibição. — A retirada do ar deve ser tomada em último caso. Eu considero uma decisão extrema — diz Barrueco. — Mas como a empresa vem descumprindo mandados de 2013, a punição está de acordo com a lei. PUBLICIDADE Já o advogado Adriano Mendes, do escritório Assis e Mendes, afirma que a suspensão do WhatsApp é "descabida", mesmo que o processo original seja de 2013. O Marco Civil determina que as aplicações de internet não são responsáveis pelo conteúdo gerado por terceiros, a menos que não cumpra decisões judiciais, como no caso em questão. Entretanto, a ordem deve estar "no âmbito e nos limites técnicos do serviço". — O WhatsApp é um serviço de comunicação peer-to-peer, baseado no número do telefone. Se a Justiça determinar que um número seja removido, certamente o WhatsApp cumpriria. É provável que o pedido tenha sido de algo fora do controle da empresa — diz Mendes. — A punição é absurda e descabida, certamente será cassada nos tribunais. Você não pode punir milhões de usuários porque algumas pessoas estão usando a ferramenta para cometer crimes. Você deve identificar esses criminosos e aplicar a punição devida. O WhatsApp tem 700 milhões de usuários em todo o mundo. Fundada em 2009, a companhia foi adquirida ano passado pelo Facebook por US$ 22 bilhões.

Quarta-feira amanhece com maior chuva do ano em quase toda a Paraíba e açudes podem ganhar volume considerável

FOTOS DA CIDADE DE DONA INÊS PB CHUVA 25/02/2015 As chuvas caídas nesta quarta-feira em quase toda a Paraíba foram as mais fortes já registradas este ano A quarta-feira amanheceu com chuvas consideráveis em quase todas as áreas do estado. Segundo os primeiros levantamentos, choveu em quase toda aParaíba, com registro de precipitações acima do esperado, o que pode garantir um volume considerável nos principais açudes localizados no território paraibano. Segundo levantamento inicial, a chuva ocorrida nesta quarta pode ser a maior já registrada este ano. Para os estudiosos, as precipitações podem indicar que o período chuvoso para esta região finalmente começou, significando, a partir de agora, chuvas mais intensas e, consequentemente, recarga para os mananciais. Em João Pessoa a chuva começou logo cedo. O mesmo ocorreu em Campina Grandee nas cidades que ficam mais próximas da capital e da Rainha da Borborema. No caso da região polarizada por Campina Grande, os primeiros levantamentos indicam que o Açude Epítácio Pessoa (Boqueirão), responsável pelo abastecimento de Campina e de outras cidades do Compartimento da Borborema, ainda não captou volume de água. De acordo com a AESA, o Açude de Boqueirão amanheceu o dia com 88.985.150 metros cúbicos de água, o que equivale a 21,69% da sua capacidade total de armazenamento. Porém, as chuvas que continuam a cair – inclusive nas cidades localizadas na cabeceira do Rio Taperoá – podem gerar volume no manancial nas próximas horas. No sertão do estado também há registro de chuvas intensas. Em Catolé do Rocha, por exemplo, as medições indicaram uma chuva, durante a madrugada, de 110 milímetros. Em Belém do Brejo do Cruz choveu 68 milímetros. O melhor é que as previsões para as próximas horas são pra lá de animadoras...